Profissional de Educação Física pernambucano relata como a Nova Zelândia tem enfrentado a crise imposta pelo coronavírus

Entrevista encerra série especial promovida pelo CREF12/PE com Profissionais de Educação Física que atuam em diversos países do mundo

Formado em Educação Física pela Universidade de Pernambuco, Carlos Kucera (CREF 002801-G/PE), é mestre em Educação Física e especialista em treinamento desportivo. Atuante o pernambucano faz doutorado na área de Educação, em Auckland, principal centro financeiro da Nova Zelândia. Carlos, que já atuou no Brasil, Portugal e agora no país da Oceania como Personal Trainer, detalha como a Nova Zelândia enfrenta a pandemia do coronavírus. “O país está todo fechado, mesmo com poucos casos. O governo está dando suporte financeiro e de saúde para qualquer pessoa que precisa. O fechamento é total por quatro semanas. Depois disso será avaliado a possível reabertura de alguns setores”, detalha.

Quando perguntado como os Profissionais de Educação Física estão enfrentando o período de quarentena no país, Carlos enumera algumas ações que ele e alguns colegas de profissão estão tomando relativas ao relacionamento com os alunos e clientes. “Serviços online gratuito para retenção de clientes, ninguém praticamente está pensando em novos clientes e estamos produzindo bastante conteúdo durante o período de fechamento”, destacou.

Sobre a realidade financeira de professores de educação física, por lá, Carlos destaca a equipariedade de salário entre as profissões. “O salário de professor de educação física é igual a qualquer outro professor. Não altera de acordo com a disciplina. O profissional de educação física tem uma remuneração média muito boa em relação a outras profissões,” contou.

Carlos também detalhou como é o sistema de educação básica neozelandeses e o peso curricular que a Educação Física tem na carga horária. “São duas aulas por semana. Em escolas primárias não necessariamente com o professor de educação física. Já na escola secundária as aulas são com o professor de educação física. Na Nova Zelândia a área de ensino voltada a Educação Física envolve também saúde. O nome é Saúde e Educação Física”, explicou.

Profissionais de Educação Física de Pernambuco pelo Mundo :

Durante a última semana, o Professor Lúcio Beltrão (CREF 003574-G/PE), presidente do CREF12/PE ouviu via lives no Instagram diversos Profissionais de Educação Física que trabalham em outros países. Entre eles: Carol Vilela (CREF004959-G/PE) da Espanha, Thiago Leal Pessoa de Lucena (CREF 004991-G/PE) de Portugal, Alessandra Dianin (CREF 046586-G/SP) da Irlanda e Sérgio Figueira (CREF 002307-G/PE) da Bélgica. A série de entrevistas teve o objetivo de informar a Profissionais de Educação Física pernambucanos sobre o que tem acontecido no mundo referente aos desafios que a pandemia do coronavírus trouxe a todo o planeta e em especial a profissão.

Compartilhar no: