CREF12/PE participa de Audiência Pública para debater a estrutura dos espaços dedicados à prática de esportes no Recife

  • Post published:25 de fevereiro de 2021
  • Post author:
  • Post category:notícias

O CREF12/PE esteve representado  na primeira Audiência Pública do vereador Paulo Muniz (Solidariedade), realizada nesta quarta-feira (24), em pauta, a situação dos equipamentos públicos de esportes e lazer nos bairros de Brasília Teimosa, Pina e Boa Viagem. Na ocasião, o vereador apresentou um relatório , por videoconferência, indicando que 97,9% dos equipamentos públicos esportivos nos bairros de Boa Viagem, Pina e Brasília Teimosa, como quadras de futebol, tênis e basquete, pistas de skate, academias e áreas destinadas a práticas esportivas, precisam de reparos ou reformas estruturais. Participaram do encontro virtual, os vereadores Doduel Varela (PSL), Hélio Guabiraba (PSB), Alcides Cardoso (DEM), o secretário de Esportes, Rodrigo Coutinho, o presidente do Conselho Regional de Educação Física (CREF), Prof. Lúcio Beltrão (CREF 003574-G/PE), e o Profissional de Educação Física Marcos Rodrigues (CREF 010242-G/PE).

  
O levantamento, feito na última semana, mostra que iluminação pública, que tem impacto direto na segurança e dificulta a prática esportiva no período noturno, é o problema de maior recorrência. Também foram verificadas questões como fiação elétrica exposta, buracos, corrimão quebrado, quadras sem tela de proteção, locais sem acessibilidade, ausência de sanitários e lixeiras, abandono ou utilização indevida de área destinada à prática esportiva. Paulo Muniz revelou que o relatório produzido na pesquisa será disponibilizado ao prefeito da cidade, ao secretário de Esportes, ao presidente do CREF e quem mais se interessar.  

O secretário de Esportes do Recife, Rodrigo Coutinho, disse que como ex-vereador, participou de causas esportivas e estava sempre aberto para conversar e trocar ideias sobre esportes no Recife. Salientou que nesse momento com a pandemia as dificuldades aumentam, mas que a Secretaria está buscando trazer a iniciativa privada para deslanchar projetos. “Há regiões com toque de recolher, mas, sabemos que a prática de esportes ajuda no combate ao estresse e a enfrentar a doença”.

Ele agradeceu o relatório e disse que o usou para cruzar dados com os da Secretaria, no sentido de melhor entender o que o esporte recifense já tem. Pontuou que os esportes e lazer da cidade atingiram outro patamar no momento em que o prefeito criou uma Secretaria exclusiva para tratar do assunto. “Estamos de mãos atadas por enquanto porque a Emlurb é que faz todos os serviços de manutenção e está lotada na secretaria de Infraestrutura. Mas a empresa não faz só isso. Cuida de lonas, de corrimão e muitas demandas nos bairros. Estamos trabalhando para encurtar esse caminho”.

O presidente do CREF, Lúcio Beltrão, enfatizou que os esportes são o maior fenômeno social do planeta e que é uma questão de saúde pública. Também disse que é preciso pressionar por mais equipamentos em 2021, pois a inatividade física não ajuda, lembrando que a maioria dos óbitos de covid-19 está relacionada a comorbidades, como diabetes, doenças cardíacas e obesidade, muitas por falta de exercícios físicos. Ele salientou que precisa haver uma política pública nacional, estadual e municipal de esportes, começando pelas escolas da rede municipal, pois a maioria não tem quadras cobertas e professores capacitados, formados em Educação Física.

O presidente do CREF cobrou ainda a aprovação do PL 31/2019 que trata da obrigatoriedade da educação física em toda a educação básica por Profissional de Educação Física, com objetivo de que os alunos conheçam diversos esportes e possam se identificar por algum, além de combater o sedentarismo e obesidade. Beltrão sugeriu a redução de ISS e IPTU das academias, box, estúdios e similares, em contrapartida, esportistas, atletas, professores da rede pública, além de guardas municipais poderiam fazer a preparação física e cuidar da saúde nesses locais. Disse, ainda, que é preciso apoio aos projetos esportivos, oferecer mais modalidades esportivas no COMPAZ, Centro Social Urbano (CSU) e explorar mais o Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães, o Geraldão. E também normatizar o uso de parques públicos.