CREF12/PE participa de protesto promovido pelo Movimento #SomosEssenciais

CREF12/PE participa de protesto promovido pelo Movimento #SomosEssenciais

  • Post published:4 de março de 2021
  • Post category:notícias

Ação cobra a inclusão da Educação Física entre os serviços essenciais

Profissionais de Educação Física, proprietários de academias e estudantes de Educação Física caminharam do Marco Zero do Recife, até o Palácio do Campo das Princesas, nesta quinta-feira (4), para reivindicar a inclusão dos locais e do serviço da Educação Física entre os serviços essenciais para a população. Os participantes respeitaram os protocolos sanitários, usando máscara e respeitando o distanciamento social. 

O Conselho Regional de Educação Física da 12ª Região/Pernambuco (CREF12/PE) e o Sindicato das Academias de Pernambuco  (SINDAC-PE), também participaram do ato. No Palácio do Campo das Princesas, uma comissão formada pelo Presidente do CREF12/PE, o professor Lúcio Beltrão (CREF 003574-G/PE), a 1ª vice-presidente Nillúzia Arruda (CREF 004223-G/PE) e os diretores do SINDAC – PE Adriana França e Liedson Lima Melo, foi recebida pelo o Secretário Executivo da Casa Civil, Carlos Eduardo Figueiredo.

De acordo com o presidente Lúcio Beltrão a conversa foi produtiva. “Queremos estar ao lado do poder público na promoção de saúde da população. A conversa foi produtiva, mostramos a importância da atividade na prevenção em saúde e também no tratamento de várias doenças. Ainda apresentamos o pleito da prioridade em vacinar os Profissionais de Educação, já que somos profissionais de saúde reconhecidos por lei. A atividade física ajuda sim na prevenção da versão mais grave da COVID-19 entre outras comorbidades. O Secretário garantiu que levará nossas reivindicações ao Governador Paulo Câmara e ao Comitê de enfrentamento a COVID-19 no estado,” detalhou.


Vale destacar que o deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC) também participou da mobilização. Intitulado como #SomosEssenciais, o movimento tem ganho bastante adesão em todo país. No último mês de junho, um protesto feito pelo movimento conseguiu fazer com que academias avançassem no plano reabertura da economia do Estado, no período de quarentena mais rígida em Pernambuco.